Growth Hacking: o que isso tem a ver com marketing de conteúdo?

Growth Hacking: o que isso tem a ver com marketing de conteúdo?

Dar partida em um fusca e chegar ao fim da corrida com um Transformer. Growth Hacking é a transformação acelerada de um negócio em movimento.

Todos os dias surge uma novidade no universo digital. Estratégias, mídias inovadoras, “jeitos novos de fazer o velho”, “jeitos velhos de fazer o novo”, “jeitos diferentes de fazer o mais novo ainda”, enfim. Agora é a vez do Growth Hacking, uma expressão que chegou no Brasil há pouco tempo, mas já está dando o que falar.

Para você ter uma ideia, foi o conceito inovador do Growth Hacking que alavancou o crescimento de muitas empresas amadas e idolatradas ao redor do mundo, como o Facebook, o Airbnb, o YouTube, o Hotmail e muitas outras.

Por isso decidi apresentar a você esse conceito, que promete continuar revolucionando o mundo corporativo e digital!

O que é Growth Hacking

O termo “hacker” está geralmente ligado a pessoas que possuem um conhecimento profundo em softwares e hardwares. O Growth Hacker, resumindo de uma maneira simples, é mais ou menos a mesma coisa que o hacker, só que dirige todo o conhecimento que adquire para o crescimento de empresas.

Para atingir o seu objetivo, o Growth Hacker não mede esforços, o que o torna, na maioria das vezes, inovador. Criando estratégias nunca antes usadas, que alcançarão a meta desejada de crescimento. Ele não tem a preocupação de usar estratégias pré-estabelecidas para isso. A empresa vai crescer a qualquer custo.

Um Growth Hacker estuda e estuda e estuda mais um pouco táticas, não apenas de marketing, mas também de produtos, administração, área financeira e até RH, para sempre melhorar os processos internos e externos, gerando impactos diretos no crescimento da empresa.

Para que esse profissional tenha o resultado esperado, necessita se pautar em pesquisas confiáveis e profundas análises e métricas, para criar uma máquina de vendas, que trabalhe sozinha conseguindo novos clientes, cuidando dos atuais, e gerando melhores resultado a cada dia.

[Devo ressaltar que o conceito deve ser usado somente em estratégias dentro da lei e da ética]

Growth Hacking na prática

Bom, acho que você já entendeu o que e como um growth hacker trabalha. Resumidamente, busca as estratégias mais eficazes e com menores custos para que a empresa tenha um crescimento de alto impacto.

Veja abaixo, uma lista de exemplos do que o Growth Hacking pode fazer por uma empresa.

Twitter

O Twitter é um dos melhores exemplos de Growth Hacking. Milhões de pessoas usam o Twitter, e quem não usa, já ouviu falar. Quando foi lançado, todo mundo começou a se inscrever, compartilhar em seus blogs e redes sociais.

Mas, depois de um tempo, foi perdendo a graça. Quase ninguém mais usava. Em vez de direcionar seus esforços em marketing tradicional, tentando convencer os usuários a voltarem para a plataforma, a empresa decidiu melhorar o produto.

Com base em testes e pesquisas, ele melhorou a experiência do usuário e descobriu que, se os usuários que se cadastrassem tivessem de 5 a 10 contas a seguir, eles retornariam ao site para acompanhar as postagens. Além disso, melhoraram o acesso às contas. Foram graças a essas mudanças que o Twitter voltou a crescer drasticamente.

LinkedIn

O LinkedIn teve um crescimento de 2 milhões para 200 milhões de usuários, através de uma estratégia de Growth Hacking, que deixou os usuários criarem perfis públicos. Essa foi uma tacada de mestre, pois garantiu que os perfis de usuário aparecessem nos resultados de busca orgânica de sites de busca.

Sempre que alguém procura o nome de uma pessoa, empresa ou título, é provável que um dos primeiros resultados que apareça seja um perfil do LinkedIn. Antes disso, procurando por seu próprio nome, o usuário tinha que buscar por uma série de outros resultados de pesquisa antes de encontrar a página realmente que procurava, mas um Growth Hacker mudou tudo isso.

YouTube

O YouTube deixou de ser uma simples plataforma de compartilhamento de vídeos, para ser o segundo maior motor de busca da internet através de técnicas de Growth Hacking.

Quando você assiste a um vídeo no YouTube, é imediatamente apresentado a um código, por meio do qual pode compartilhar o vídeo em seu site, blog ou rede social. O que torna o processo de fazer o upload de vídeos e o compartilhamento deles com o mundo, extremamente fácil.

Caso o usuário queira compartilhar algum vídeo, ele é apresentado à uma lista de vídeos, que podem ser compartilhados. Essa é a ideia por trás de um “viral loop”, que é uma parte fundamental do Growth Hacking.

Profissionais growth hackers têm atitudes comuns: um processo de investigação interna e uma mentalidade única entre o técnico e o vendedor. A mentalidade dos dados, a criatividade, a curiosidade e permite que o hacker crescimento cumprir o objetivo do crescimento de usuários para os milhões. – Andrew Chen

E o Marketing de Conteúdo?

O Marketing de Conteúdo está bem mais difundido no país. Consiste em gerar conteúdo, seja uma notícia, post de blog, vídeo, gráfico, artigos ou o que mais for necessário para ser compartilhado entre os usuários da internet e gerar resultados. Esse conteúdo precisa ter relevância o suficiente para que o usuário sinta vontade de mostrá-lo para o resto do mundo.

Serve para a captação e educação de clientes, criando um forte relacionamento entre marca e cliente. Para isso, a empresa precisa conhecer a fundo o seu público, segundo aspectos como seus hábitos, seus desejos e suas dores, para que sua comunicação seja cada vez mais certeira e aumente as chances de vender.

O Marketing de Conteúdo alia diversas estratégias  baseadas em SEO (Search Engine Optimization), links patrocinados, landing pages e outras ferramentas que ajudam a gerar a conversão de leads.

Um grande diferencial é que o retorno destes investimentos pode ser mensurado e comprovado através de análises de métricas de conversão. Outra vantagem do Marketing de Conteúdo é o custo, que costuma ser bem menor em relação ao Marketing Tradicional, o que o torna acessível a empresas de todos os portes.

O que Growth Hacking tem a ver com Marketing de Conteúdo?

“Ok. Mas o que tem uma coisa a ver com a outra?” – Você deve estar se perguntando. A resposta para esta questão é: Tudo! Lembre-se: O growth hacker precisa ter um profundo conhecimento de todas as funções que ajudam no crescimento da empresa, e o marketing está entre elas.

Para definir estratégias eficientes, o profissional de Growth Hacking deve conhecer, como ninguém, o mercado, os usuários do produto ou serviço, para assim poder encontrar as melhores oportunidades para a empresa crescer.

É com a ajuda desse conhecimento e de outras ferramentas e estratégias, que se alcança a vantagem competitiva e o aprimoramento do produto, sempre se pautando em informações e pesquisas confiáveis de mercado e de estratégias.

Um growth hacker descobre uma estratégia de crescimento dentro dos parâmetros de um método escalável e repetível para o crescimento, inspirado pelos dados e motivado pelo produto. – Aaron Ginn

Para fechar, deixo uma pergunta para você responder nos comentários: o que você acha dessa nova forma de gerar resultados?

Colaboração: Luiz Guilherme de Carvalho

About Paulo Maccedo

Paulo Maccedo é analista de marketing pela Universidade Metodista de São Paulo, especialista de marketing de conteúdo, copywriter e autor. Escreveu 4 livros de negócios, entre eles, A Arte De Escrever Para a Web, que ficou entre os mais vendidos na Amazon por 3 vezes. Já publicou mais de 2000 artigos em jornais, revistas, sites e blogs.

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta

Fechar Menu