Identidade de marca: o caminho para construir uma imagem forte e alcançar uma posição de destaque no mercado

Identidade de marca: o caminho para construir uma imagem forte e alcançar uma posição de destaque no mercado

Um dos principais desafios do marketing é a criação de marcas fortes que consigam suprir as necessidades e desejos de seus consumidores.

Nesse contexto, o conceito de identidade de marca é o caminho para uma permanência longa e duradoura no mercado.

O objetivo de chamar a atenção, atrair e conquistar, assim como acontece no âmbito pessoal, também ocorre com produtos e serviços.

Em um mundo competitivo, como vivemos atualmente, a busca por diferenciais na atuação de marcas, é algo essencial.

Existem algumas linhas dentro do assunto identidade de marca que podem ajudar você a definir uma boa estratégia.

É sobre isso que vamos falar aqui!

O que é identidade de marca?

identidade de marca

Cada marca deve ter uma personalidade única, estruturada, facilmente identificável pelo público e bem traduzida em todos os pontos de contato.

É aí que a identidade de marca entra em cena.

Identidade de marca é o que define a missão e valores da empresa ou produto.

Design de produto, ética do negócio, estratégia de venda e comunicação são alguns aspectos tratados pela identidade.

O objetivo é alinhar todos esses elementos físicos e visuais para dar uma impressão positiva nos clientes e, assim, estabelecer um posicionamento único.

A identidade de marca também:

  • Gera senso de originalidade;
  • Mostra aos clientes quem você é;
  • Mostra ao mercado como você resolve problemas;
  • Transmite como você quer que os seus clientes se sintam quando escolhem o seu produto.

Por exemplo, que palavras, elementos visuais ou emoções vêm em sua mente quando você pensa na Harley Davidson? É o logotipo icônico? As motos únicas? A sensação de liberdade que as propagandas promovem?

Todos os seus produtos favoritos possuem identidades de marca que se comunicam com o seu estilo de vida.

A identidade de marca ajuda uma empresa a ser reconhecida, além de ajudar a construir fidelidade do cliente e dar longevidade no mercado.

E não se trata apenas ter a ideia de um logotipo e um nome.

A macra deve promover importância e promover uma mensagem por trás dos produtos.

Mais do que simplesmente dizer o que um produto faz, a identidade da marca deve expressar, os atributos da empresa e a cultura na qual está inserida.

Principais dimensões da identidade da marca

Dimensão física – Aqui entram em cenas elementos que tornam a marca tangível, ou produtos/serviços representativos ou com qualidades particulares;

Dimensão da personalidade – É representada por personagens que a materializam, como o seu nome e símbolos visuais (mais à frente vamos falar sobre os arquétipos, que ajudam a formar essa dimensão).

Dimensão cultural – É o sistema de valores que estão definidos em consonância com os produtos ou serviços que a marca representa.

Dimensão da inter subjetividade – As associações que humanizam uma marca e que são geradoras de imaginários. Podem constituir proposições de venda decisivas para estabelecer uma relação duradoura com o consumidor.

Dimensão do significado – Elementos utilizados para contextualizar os produtos ou serviços, e que desempenham função semelhante nos consumidores, quando estes no seu comportamento exterior a refletem.

Dimensão da mentalização – A esfera que gere a introspecção de uma marca pelo consumidor, o que a transforma num componente importante da sua personalidade.

Posicionamento peculiar

Para entender alguns aspectos relacionados à construção e identidade de marca, podemos fazer ponte com a identidade pessoal, aquela que cada indivíduo adquire na vida. Cada pessoa tem o posicionamento que lhe é peculiar, específico.

Na família, por exemplo, uma pessoa pode ser a “apaziguadora”, a “diplomática”, “a calma”, que tranquiliza o ambiente e promove a harmonia entre irmãos, primos, pais, etc.

Ou pode ter um posicionamento contrário, “briguento”, “rabugento”, “reclamão”.

No trabalho, a pessoa pode ter um posicionamento inteiramente diferente, ser a “responsável”, a “solucionadora de problemas”, a “criativa”, a “iniciadora”, etc.

Pessoas influentes geralmente passam ao mercado uma imagem com base em posicionamento peculiar. Alguns são “serenos”, outros, “polêmicos”; alguns outros são “simpáticos”, outros “críticos”.

O posicionamento peculiar tem muito a ver com a personalidade de cada pessoa ou marca — ou do personagem que ela encarna na esfera pública.

A importância dos arquétipos na identidade de marca

identidade de marca

O conceito de arquétipo surgiu no ano de 1919, com o psiquiatra suíço Carl Gustav Jung. Arquétipo pode ser entendido como o princípio de uma ideia.

De acordo com Jung, é um conjunto de “imagens primordiais” que “estão presentes em todo o tempo” e “em todo o lugar”. Tais imagens são passadas em muitas gerações e armazenadas no inconsciente coletivo.

Para você entender melhor, todos nós —  independentemente do lugar em que nascemos e a cultura em que fomos criados — temos, por exemplo, o arquétipo do herói no nosso inconsciente.

Seja ele um lutador bíblico, como Sansão, um guerreiro Viking, como Ragnar Lothbrok, ou um ícone da cultura popular ocidental como Superman.

Temos muito bem definido na nossa mente o que é um herói, embora ele não tenha uma forma pré-estabelecida.

Os arquétipos satisfazem necessidades próprias do ser humano como pertencimento, grupo, independência, auto-realizarão, estabilidade, controle, risco.

Passados de geração em geração na forma de mitos, narrativas, livros, filmes e na própria publicidade, os arquétipos tornam-se importantes para identificar a identidade de uma marca.

Além do herói, existem 11 tipos de arquétipos:

  1. O Explorador
  2. O Inocente
  3. O Criador
  4. O Sábio
  5. O Fora-da-lei
  6. O Mago
  7. O Governante
  8. O Prestativo
  9. O Cara comum
  10. O Bobo da Corte
  11. O Amante

A importância da identidade de marca na construção de uma comunicação forte

identidade de marca

A maioria das pessoas remete a identidade de marca ao design e aos elementos gráficos, e isso faz todo sentido. Porém, esta é apenas uma pequena parte do complexo sistema.

Para compreender o conceito geral que aborda todos os aspectos de comunicação, é preciso mergulhar no chamado Branding.

Branding refere-se à gestão da marca, tais como seu nome, imagens ou ideias a ela associadas. Isso inclui slogans, símbolos e outros elementos da identidade que a representam ou aos seus produtos e serviços.

“Logo, a marca não é efetivamente forte sem a construção dos pilares que integram o mix de comunicação, cujos aspectos são primordiais para definir uma boa colocação no segmento de atuação e no mercado em geral” (fonte).

Como especialista em comunicação, vejo a importância de entender cada vez mais a identidade de uma marca para compor, por exemplo, oferta, anúncios e, claro, conteúdo.

Afinal, assim como voz é um elemento que demonstra a essência de uma personalidade humana, o que uma marca fala, deve expressar a identidade de uma marca.

About Paulo Maccedo

Paulo Maccedo é analista de marketing pela Universidade Metodista de São Paulo, especialista de marketing de conteúdo, copywriter e autor. Escreveu 4 livros de negócios, entre eles, A Arte De Escrever Para a Web, que ficou entre os mais vendidos na Amazon por 3 vezes. Já publicou mais de 2000 artigos em jornais, revistas, sites e blogs.

Deixe uma resposta

Fechar Menu