7 dicas certeiras para criar um Call-to-Action persuasivo e poderoso

7 dicas certeiras para criar um Call-to-Action persuasivo e poderoso

O Call-to-Action é um elemento essencial de um texto para a conversão.

Em termos de marketing, Call-to-Action, ou CTA, é uma “Chamada Para Ação”.

No âmbito digital, são palavras e frases persuasivas contendo links que levam os usuários a realizar ações.

O principal objetivo é direcionar o leitor a um outro local, como uma página de captura ou página de vendas.

No copywriting e no marketing de conteúdo, a técnica é muito utilizada e se faz presente em todo processo de venda online, auxiliando nas etapas do funil de vendas, desde a primeira visita até quando o visitante se torna um cliente.

Os tipos de Call-to-Action variam de página para página e podem ser links de navegação, compras, formulários de inscrição.

Existem basicamente dois tipos de CTA:

  1. CTA Primário                                     

Este é o que apela para a funcionalidade da página. Se seu visitante deseja comprar um e-book, a página de vendas tem o objetivo exclusivo de vendê-lo, então o CTA é aplicado no botão “Comprar” ou “Adicionar ao Carrinho”.

  1. CTA secundário

O CTA secundário funciona de forma subjetiva, oferecendo produtos relacionados em um ponto estratégico da página. Ainda usando o exemplo do e-book, o foco principal da página de vendas é vendê-lo, entretanto, ela também pode oferecer os produtos complementares, o que seria o Call-to-Action secundário.

Agora vamos saber…

Como fazer um bom Call-to-Action

Eu falo sobre isso no vídeo abaixo…

Outras dicas…

1 – Aplique chamadas disfarçadas

Em textos de blogs, geralmente se aplica o CTA no fim do artigo, nem que seja para fazer o leitor interagir com um comentário. Mas isso não é regra.

Ele pode entrar em outros pontos do conteúdo.

Aliás, CTAs disfarçados em outros locais do conteúdo podem ser muito eficientes para persuadir o seu leitor a fazer o que você deseja que ele faça.

Dependendo do caso, eu uso espécies de Call-to-Action em diversos pontos de um artigo, no início, no meio e no fim.

2. Pense no que seus leitores estão buscando

Como eu explico no vídeo acima, você preia conhecer bem o perfil das pessoas que leem seus conteúdos.

Considere o seguinte…

Como é que essas pessoas chegaram até aqui? Pelas redes sociais? Pelo Google?  O que elas estão procurando exatamente?

O que é preciso para convencê-las a tomar uma ação específica? O que eu quero que elas façam ao terminar a leitura?

É bem provável que você tenha feito uma pesquisa de tema e de palavras-chaves antes de produzir o seu texto.

Se você se planejou previamente quanto a isso, estará mais apto a identificar o que seus leitores terão que fazer ao se depararem com sua chamada para a ação.

3. Seja criativo e específico

Evite frases genéricas como “Clique Aqui”.

Além de estar batido, ouvi dizer que o Google tende a rejeitar este tipo de chamada hoje em dia.

Por isso, além de persuadir seu leitor mais facilmente, um texto âncora criativo e específico auxilia até mesmo no ranqueamento do seu conteúdo.

Mas não exagere…

Se as palavras são simples, mas eficazes, seu CTA já ganhou.

Na verdade, um texto curto e autoexplicativo é o mais indicado para uma chamada para a ação, pois frases demasiadamente longas podem prejudicar a conversão.

Uma boa frase ou um verbo de comando com um hiperlink pode ser suficiente para gerar o resultado que você quer.

Exemplos:

  • “Baixe gratuitamente seu e-book!”
  • “Acesse agora sua aula grátis!”
  • “Seja um Assinante Vip!”

4. Apresente uma promessa

Esta é outra dica fundamental…

Seu Call-to-Action precisa prometer alguma coisa.

Então, toda vez que for produzir um CTA, indique um benefício, uma vantagem, algo que faça o leitor ter interesse.

Lembre-se que ele está buscando alguma coisa e a frase deve indicar que o link tem o que ele busca.

Repare que os 3 exemplos dados acima, ofereciam algo como um e-book gratuito, uma aula grátis e assinatura exclusiva.

É demais querer que o usuário realize uma a ação só porque você quer.

Ele é quem precisa se interessar.

Ressaltando também que a oferta precisa ser boa, pois não basta caprichar na chamada se o que está por trás dela deixa a desejar.

5. Use os princípios da persuasão

Para ser persuasivo, você precisa estudar o que são os princípios da persuasão, ou também, os popularmente conhecidos como gatilhos mentais.

Dentre eles, existem dois que são poderosos para uma chamada para a ação:

Princípio da urgência e princípio da escassez.

Exemplos como “Compre Agora”, “Garanta sua Vaga” ou “Receba Hoje” costumam gerar ação imediata por se basearem nesses princípios.

É mais provável de as pessoas clicarem na frase se ela despertar emoções, e para isso, o aspecto psicológico deve ser considerado.

6. Use números, sempre que possível

Dependendo do que você estiver escrevendo, é muito eficiente aplicar números em seu Call-to-Action.

Esta é uma forma de evidenciar para o usuário o que ele irá receber ou acessar.

Exemplos:

  • “Receba 20% de Desconto Agora”
  • “Compre imediatamente por apenas 17”.

Os números irão ativar o cérebro de seu leitor para a oferta, agregando valor ao que você já disse antes.

Um detalhe que eu explico no meu livro “A Arte De Escrever Para A Web”:

Na frase “Obtenha 1000 Músicas em Seu Bolso” o apelo é para a quantidade do benefício, por isso a presença dos zeros.

Ao contrário de “Compre por Apenas 17”, que apela para o desconto, e para que o número pareça menor, dispensa-se a vírgula e os zeros.

7 – Abuse do modo imperativo

Se você relembrar algumas aulas de português do ensino fundamental, vai recordar dos modos verbais.

Entre eles, está o imperativo, o modo verbal pelo qual se expressa uma ordem, pedido, desejo, conselho, sugestão, recomendação, solicitação, orientação, alerta ou aviso.

Este modo acentua o caráter de mando, de autoridade, ou que exprime uma ordem.

Você pode se valer desse modo para criar frases bem impactantes, como as dos exemplos abaixo:

  • Clique agora e aproveite!“
  • “Escreva seu email abaixo!“
  • “Garanta sua vaga“
  • “Faça acontecer“
  • “Esqueça das dívidas”,
  • “Pare de perder dinheiro”,
  • “Comece a ser feliz!”
  • “Nunca mais seja enganado”

Dica bônus: Aprenda o copywriting

Eu começo o vídeo que linkei acima falando disso.

Costumo dizer que se pudesse voltar no tempo e dar um único conselho a mim mesmo, seria esse!

Copywriting é uma técnica poderosa capaz de produzir comunicações certeiras.

Se você quiser realmente fazer textos e chamadas que sejam impossíveis de serem ignorados, pegue este conselho.

Enfim…

Teste estas dicas em seus textos daqui em diante.

E se quiser aprender mais sobre este e outros assuntos, convido você a se inscrever no meu canal.

Atualizo os vídeos semanalmente com informações úteis e relevantes para qualquer um que queira obter mais resultados com marketing de conteúdo.

call-to-action

About Paulo Maccedo

Paulo Maccedo é analista de marketing pela Universidade Metodista de São Paulo, especialista de marketing de conteúdo, copywriter e autor. Escreveu 4 livros de negócios, entre eles, A Arte De Escrever Para a Web, que ficou entre os mais vendidos na Amazon por 3 vezes. Já publicou mais de 2000 artigos em jornais, revistas, sites e blogs.

Deixe uma resposta

Fechar Menu