escrever para a web
A Arte De Escrever Para a Web e Produzir Conteúdos Poderosos
1 de novembro de 2017
Exibir tudo

Marketing de Conteúdo │ Tudo o que você precisa saber agora

Você já ouviu falar em marketing de conteúdo e está querendo aprender mais o assunto? Este artigo é ideal para você…

Ele contém informações úteis e relevantes sobre essa nova forma de conquistar clientes e mostra porque essa abordagem é definitiva para o mundo dos negócios. Uma explicação rápida:

Vender hoje não se resume em divulgar mais. Não é quanto mais se divulga, mais se vende. Esse é um jogo ultrapassado. O controle não é mais seu, é do público. Aliás, não é por você que o consumidor pensa em comprar, é por ele mesmo.

Aquela era em que bastava você falar sobre o seu trabalho, seu negócio, seus serviços etc., ficou para trás. Antes, apenas o investimento nos melhores canais de publicidade trazia o resultado esperado.

Esse era a jogada tradicional, intrusiva, que detinha o “controle” sobre o que as pessoas poderiam consumir. Uma comunicação sem permissão que “invadia” o espaço do consumidor em potencial.

Os tempos são outros…

Marketing de Conteúdo é a última estratégia de marketing que sobrou. – Seth Godin

Uma primeira definição:

O marketing de conteúdo é um conjunto de táticas que objetivam atrair, cativar e fidelizar clientes através da criação e publicação de conteúdo útil. Com ele é possível descobrir o que determinado público-alvo precisa e deseja, e a partir disso, produzir conteúdo que seja relevante e atraente. Ele permite aumentar gerar visitas sites e blogs corporativos,  transformar esses visitantes em leads, educá-los para a compra, torná-los clientes e ainda assegurar a fidelidade dos consumidores.

Outra definição relevante:

Marketing de conteúdo é a estratégia de marketing que usa o conteúdo como ferramenta de descoberta, informação, vendas e relacionamento com o público de uma empresa. Consiste em definir esse público, estabelecer os pontos de conexão, entregar valor e educar o cliente com formas de conteúdo nas mais variadas modalidades, medindo cada etapa do relacionamento para manter esse conteúdo sempre relevante para o consumidor.

Esse é um bom começo, agora vamos consolidar tudo isso?

Qualquer formato que possa ser publicado e consumido pode ser usado no marketing de conteúdo. Aquilo que as marcas publicam visando se aproximar do consumidor e sanar suas dúvidas, matar suas objeções e fornecer dicas ao longo da jornada de comprar, mas sem intenção comercial direta, mas educacional. Podemos destacar alguns formatos: 

  • Blogging;
  • Artigos;
  • Notícias, Mídia e Relações Públicas;
  • Publicação de Infográficos;
  • E-books e Whitepapers;
  • Webinars e Podcasts;
  • Questionários;
  • Links diretos ou referenciados;
  • Social Bookmarking;
  • Fóruns online;
  • Vídeos online;
  • Marketing em Comentários;
  • E-mail marketing;
  • SEO;
  • Mídias Sociais.

Começou a clarear não é mesmo? Mas não para por aí…

O processo do marketing de conteúdo

marketing de conteúdo

Existe um processo usado na maioria das estratégias de marketing de conteúdo que segue os seguintes passos:

1 – Atrair

Nessa fase produz-se conteúdo como artigos, e-books, vídeos, infográficos, palestras e outros para atrair leitores por meio das ações de SEO (Otimização de Sites para Motores de Busca), investimentos em links patrocinados, divulgação em redes sociais, e-mail marketing e etc.

2 – Converter

Cria-se conteúdo mais aprofundado para quem deixou os dados de contato (como nome e endereço de e-mail) para receber novos conteúdos. Geralmente criar-se uma sequência estratégica de e-mail, trabalha-se promoções em landing pages, entre outras coisas.

3 – Relacionar

Aqui é preciso manter a comunicação com os usuários para que o relacionamento seja fortalecido. O uso do e-mail marketing, a publicação de conteúdo adicional, interações nas redes sociais e mais algumas táticas são postas em prática.

4 – Vender

Na fase de vendas alinha-se ainda mais o departamento de marketing com a de produção de conteúdo para levar os contatos obtidos (leads) à conversão. É aqui onde a pessoa definitivamente torna-se cliente, adquirindo o produto ou contratando o serviço da empresa.

5 – Monitorar

Logo após o processo de venda, dá-se início ao monitoramento da relação do comprador com a marca, nunca deixando de alimentá-lo com conteúdo relevante. A ideia é seguir cativando o usuário e gerar novos impulsos de venda.

Por que o marketing de conteúdo funciona tão bem?

marketing de conteúdo

Vivemos uma revolução. Uma nova forma de fazer marketing predomina…

Muito da bagagem sobre marketing que carregamos hoje é reflexo da velha forma de divulgar um produto: “Fazer barulho para vender mais”. Antes da era da internet, bastava uma empresa ter dinheiro para investir em mídias de massa, como tevê e rádio, que já conseguia bater recordes de vendas e alavancar sua marca.

Mas o consumidor cansou e virou o jogo. Na web clica em um banner quem quer, permanece em site quem quer, compra um produto quem quer. O impacto é outro. E as marcas que não estiverem dispostas a ceder o reinado para o cliente, dando ele o que deseja e precisa, tenderá a desaparecer.

Aquela velha tática de quanto mais se conhece marca e o produto, mais vendas acontecem não é mais suficiente. Portanto, se você continuar fazendo apenas marketing à moda antiga, apenas gritando para o mundo que seu produto é bom, sua empresa estará com os dias contados!

Por décadas, o marketing e a publicidade foram usados de forma superficial. Pensava-se em design excelente, slogans impactantes, comerciais a nível de Hollywood, mas quase nenhuma forma de consciência e confiança sobre o consumo era garantida.

Não havia diálogo entre marca e consumidor. As organizações discursavam friamente, passando suas mensagens, muitas vezes, oportunistas com o olho na grana do cliente num jogo de ganha-perde.

marketing de conteúdo funciona bem porque além de relevante, é humano, pontual, não ganancioso e sem propostas enganosas. É ganha-ganha. A mensagem é certa, na hora certa para o público certo está fazendo marketing da forma mais sincera e sublime. É dado pelo consumidor a permissão para receber a mensagem.

A imagem abaixo representa bem a diferença entre o marketing tradicional e o marketing de conteúdo:

marketing de conteúdo

Este é o tipo de marketing que as pessoas falam sobre algo que se preocupam. Não é feito pensando em publicidade, mas em algo que realmente vale a pena falar. Há uma relação de troca entre quem lança e quem consome. A empresa deve buscar clientes mais conscientes para a compra, e os clientes, empresas que o eduquem.

No fim acontece o que todos esperam, só que de uma forma menos explícita: um vende e outro compra.

Marketing de conteúdo é a evolução e quem não se dispuser a praticá-lo, ficará para trás no mundo dos negócios.

Vantagens de investir em marketing de conteúdo

marketing de conteúdo

Atração e formação de audiência

As pessoas não gostam que alguém venda para elas. O conteúdo surge como uma solução para esse comportamento, onde empresas e consumidores desenvolvem diálogos de igualdade, trocando experiências. Logicamente, um dos resultados é a venda, muito mais satisfatória comparando com as táticas convencionais.

71% dos profissionais de marketing B2B afirmam que uma audiência qualificada é, sem dúvidas, o elemento mais importante do marketing de conteúdo.

Autoridade e Posicionamento

Consumidores estão constantemente acessando os motores de busca para encontrar o que precisam. Uma boa tática de marketing de conteúdo ajuda sua marca estar bem posicionada nos resultados, recebendo a atenção necessária e criando autoridade na rede. Produzir e compartilhar conteúdo relevante, também é uma das melhores maneiras de posicionar-se no mercado, destacando-se da concorrência.

Aproximadamente 50% dos profissionais de marketing B2B se valem de marketing de conteúdo para se tornarem referência no mercado e para educação.

Custos reduzidos

Estratégias de marketing de conteúdo tendem a ser 50% mais baratas que as de marketing tradicional. Outra consideração nesse sentido é que os leads gerados costumam fechar oito vezes mais negócios.

A Content Marketing Institute/Marketing Profs divulgou que a média de investimento em conteúdo feito por profissionais de marketing é de 25%.

Onde publicar e compartilhar conteúdo

Blog

Não existe regra quanto aos canais, e a escolha deles deve ser baseada em pesquisas e preferências do publico. Entretanto, o blog corporativo tem apresentando grande poder de conversão quando o assunto é marketing de conteúdo. Trata-se de um canal barato, de fácil manutenção e com indiscutível potencial de comunicação.

Mídias sociais

As redes sociais também surgem como excelentes meios de publicação online e promoção. As mais usadas são Facebook, Twitter, Instagran, Linkedin, Google Plus, e agora, SnapChat. Uma marca que sabe atuar em perfis e páginas nessas e outras redes assegura excelentes resultados.

Youtube

O Youtube também é outra alternativa eficiente para conduzir estratégias de conteúdo. Ainda no campo dos vídeos, o lançamento de webinários (seminários online) apresentam resultados pontuais e consideráveis em uma estratégia de conteúdo.

Fatores essenciais para o sucesso do marketing de conteúdo

Para que uma estratégia de marketing de conteúdo obtenha sucesso existem fatores imprescindíveis:

Documentação (plano)

A primeira coisa é documentar a estratégia, a fim de garantir um ponto de partida e gerir a execução. No que diz Basicamente é preciso conhecer muito bem o público-alvo, definir toda a abordagem, os temas, títulos, tom de voz, escolher os serviços e produtos que ajudarão no alcance dos objetivos online, frequência e calendário editorial, SEO, revisão, revisão e revisão.

Relevância 

Após isso, deve-se cuidar de publicar consistentemente conteúdos de qualidade e relevância. O quarto fator é mapear devidamente o conteúdo para a jornada do consumidor, ou seja, o funil de vendas. Em seguida, edita-se e revisa-se, cuidando de todos os detalhes quanto à qualidade. Publica-se e dissemina-se o conteúdo, gerindo-o em seguida. Por fim, mensura-se os resultados do investimento sobre o marketing.

  • Sites que possuem de 50 a 100 páginas costumam receber em média 48% a mais de tráfego, comparado aos sites com o número de páginas abaixo de 50.
  • Empresas que tem blog corporativo, e que postam pelo menos duas vezes por mês, geram cerca de 70% a mais de leads.
  • Comprova-se que sites que aumentaram o número de postagens de 3 a 5 vezes para 6 a 8 vezes por mês, duplicam a geração de leads.

Investimento

A Roper Public Affairs indica que 80% dos responsáveis pela tomada de decisão em empresas afirmam preferir obter informações sobre produtos e serviços através de conteúdo (principalmente por artigos) ao invés de publicidade convencional.

Além disso, cerca de 70% dos entrevistados, disseram que o Marketing de Conteúdo os aproxima da marca, gerando a credibilidade necessária para estimular a compra.

Terceirização

Outra consideração é o papel da terceirização do conteúdo. Para garantir menores custos e maior proficiência, as empresas podem contar com os serviços terceirizados de produção, contratando uma agência ou profissional para cuidar de toda a estratégia.

Planejar e executar uma estratégia de conteúdo é uma dura tarefa porque exige bastante preparo e tempo, coisas que poucas empresas estão dispostas a cumprir. Sem contar que é preciso senso analítico e disciplina para assegurar qualidade e relevância do que se pretende lançar.

Qual o papel de um blog no marketing de conteúdo?

O blog é o canal perfeito para se colocar o marketing de conteúdo em prática, porque é um canal barato e com alto potencial de comunicação. Além do mais, é totalmente amigável para os mecanismos de busca, como o Google. Pesquisas indicam que websites com blogs corporativos garantem 434% a mais páginas e 87% mais links indexados. Diante disso, a atualização constante de conteúdo de qualidade em um blog ajuda a empresa a ser mais bem encontrada pelos usuários nos buscadores.

A profusão de Blogs atualmente torna o conteúdo ainda mais valioso, pois é ele que irá diferenciar o joio do trigo no mar de informações acessáveis na rede – Hubspot

Um blog (do termo inglês web log, “diário da rede”), ou blogue, em português, se trata de um tipo de site em que a estrutura possibilita a atualização rápida, a partir de acréscimos dos chamados artigos, ou posts. Outro componente importante no blog são os conhecidos comentários. Espaço em que os visitantes podem falar abertamente o que acharam do que foi publicado.

Existem diversos tipos de blogs, que vão desde publicações de pequenas notas, passando por blogs jornalísticos, até os blogs corporativos, em que o conteúdo é aplicado de forma altamente estratégica. Um blog geralmente combina textos, imagens e links para outros blogs, páginas, mídias relacionadas a seu tema, produtos, serviços e etc.

Alguns sistemas de blogs chamam a atenção pelas facilidades aos autores, disponibilizando ferramentas próprias que dispensam o conhecimento de programação. Grande parte dos blogs tem os textos como linguagem principal, embora alguns sejam focados em temas como arte, música, vídeos, fotografia, formando uma ampla rede de mídias.

Outro formato popular é o microblog, que são blogs com textos curtos. Por conta de sua eficiência, o WordPress é o sistema de blog mais utilizado em estratégias de marketing pelas empresas. Este blog que você está acessando, por exemplo, foi programado no WordPress.

Uma ferramenta fácil de criar e atualizar. Possui propriedades e atributos que podem se encaixar perfeitamente nas necessidades de qualquer tipo de negócio. Com ele, a comunicação interna ou externa é feita de forma simples, descomplicada e altamente interativa, além de instantânea.

No vídeo abaixo eu deixo claro como um blog é importante para que um site venda…

Como organizar uma estratégia de marketing de conteúdo

Organização e planejamento são essenciais para o sucesso de uma estratégia de marketing de conteúdo. A recorrência também é um fator importante na alimentação de seu blog corporativo, e na entrega de informação para seu público. A criação de um cronograma, também chamado de calendário editorial permite aliar esses elementos para garantir bons resultados em sua estratégia.

Nele é possível definir com antecedência as pautas que serão produzidas e publicadas e quando serão lançadas. Assim você não perde tempo buscando ideias e novas inspirações de post para o dia. Confira os aspectos essenciais na construção de um bom calendário editorial de conteúdo!

Recursos

Existem algumas tecnologias que você pode utilizar para organizar seu conteúdo. Destaco que cada profissional ou empresa tem seus meios de se planejar. Alguns usam os tradicionais papel e caneta, enquanto outras softwares e aplicativos. Eu uso os dois. Muito de minha organização se vale de Word e Excell, mas gosto muito do Evernote, um excelente aplicativo de organização.

Se você preferir, assim como eu, pode recorrer aos famosos modelos de planilhas Excell, ou as do Google, pois são práticas e funcionais. Mas, também pode usar um bom software de gestão. Neste caso, indico algumas que as agências que presto serviços usam: Basecamp, Kapost e o Google Calendar. Trata-se de ótimas ferramentas que auxiliam na criação de seu calendário editorial.

Não existe um padrão de como produzir um calendário editorial de conteúdo, pois isso parte da visão de cada empresa, do profissional responsável e da proposta do marketing. Mas para que você tenha ideia de como eu faço meu planejamento, veja alguns pontos que considero:

Número de Posts

Aqui no blog lanço 2 artigos por semana, totalizando 8 por mês. Esse número pode variar, sempre para mais quando pego algum gancho de temas em evidências. Ou seja, se houver algum assunto que esteja em voga, produzo um artigo baseado nele e lanço no blog sem me basear no cronograma. Mas num todo, planejo todos os títulos antes, trabalhando certa progressão e integração de temas.

Temas

Os temas a serem abordados devem ir ao encontro da necessidade do público alvo. Por isso que conhecê-lo bem é extremamente necessário. Se seu blog foca em design, por exemplo, você pode produzir posts que ensinem seus leitores a desenvolverem logomarcas funcionais, indicar softwares e ferramentas que auxiliem no trabalho, enfim, tudo o que venha a resolver o problemas cotidianos deles. Sempre com um objetivo em mente!

Títulos dos posts

Os títulos, obviamente, devem ser baseados nos temas. Você pode escolher determinada quantidade de temas e, a partir deles, uma infinidade de títulos. Se sua intenção é elaborar um calendário para os próximos três meses, lançando 8 por mês, tem o total de 24 posts (isso falando em artigos apenas), então, seu calendário precisará de 24 títulos previamente aprovados.

Data e horário de publicações

Aqui é quando cada um dos textos será publicado. Tenho um blog em que publico em todas as segundas e quartas, outros, às segundas e sextas. A partir disso, vejo as datas do mês recorrentes que caem nesses dias da semana e defino onde cada uma das pautas será lançada.

Quanto aos horários, sempre lanço por volta do período de almoço, entre 12:00 e 14:00, ou à noite, por volta das 19 hs. Esses são os horários em que o público mais interage com os posts. Mas isso deve ser estudado por você, antes de definir a estratégia num todo.

Lançamento de ofertas de conteúdo

Um ou dois e-books por mês, um podcast a cada dois meses, um vídeo a cada semana, isso é você quem vai decidir. Até porque esses lançamentos exigem investimentos maiores em tempo e divulgação. É sempre bom investir também em Links Patrocinados no Google AdWords ou Facebook Ads.

Mais uma vez ressalto: tudo deve ser feito de acordo com sua proposta, pois uma das características de um Marketing de Conteúdo efetivo é a personalização. Portanto, o que pode funcionar para um nicho, pode não funcionar para outro.

Comunicação com o profissional de conteúdo

Quando há uma agência ou profissional produzindo seu conteúdo é importante desenvolver uma boa comunicação com eles. Isso garante maior organização na execução da estratégia de seu calendário editorial de conteúdo.

Sempre procuro estar em sintonia com meus clientes, para que juntos desenvolvamos um calendário eficiente. Geralmente, ele me passa os temas, crio os títulos e produzo tudo com antecedência, para que quando chegue a data, ele só tenha o trabalho de publicar.

Educando Leads com o marketing de conteúdo

Uma das vantagens do marketing de conteúdo é poder educar os leads para que venham comprar no futuro. Criar e manter um blog atualizado com conteúdo relevante, com artigos de qualidade, além de materiais mais profundos, como e-books, whitepapers e infográficos é essencial para gerenciar a aquisição e o ciclo de vida dos leads.

Você pode utilizar os posts para alcançar objetivos como: gerar autoridade, demonstrar aos leads que você entende suas necessidades e tem as soluções, assegurar a fidelização, educar clientes ativos e etc. Outra vantagem é ter a chance de criar defensores da marca, aqueles visitantes e seguidores que mesmo não comprando seus produtos, interagem e ampliam o alcance do seu conteúdo.

Isso ajuda na implementação e na propagação dos benefícios do uso da sua solução e aumenta as oportunidades de vendas.

Seja sincero

O primeiro conselho para você usar o conteúdo para educar seus leads para a compra é aplicar sinceridade no que se irá publicar. É preciso evitar a superficialidade e se dispor a realmente ajudar aos leads. A única maneira de fazer isso é entendendo o que seu público alvo busca, necessita e deseja. Faça pesquisas detalhadas buscando reunir o máximo de informações sobre suas personas e produza um conteúdo memorável.

Dê atenção a sua audiência

Vamos supor que você esteja escolhendo bons temas e que seu público está interagindo bem com o blog. Você precisa dar atenção a ele. Sempre responda às dúvidas de seus visitantes. Procure perceber quais os pontos mais comuns e o que gera mais confusão entre os leitores. Normalmente outros visitantes também possuem a mesma dúvida, mas preferem não se manifestar.  Haja com inteligência construindo novos posts que forneçam respostas satisfatórias a eles. Isso fará com que sua marca ganhe a confiança do visitante e eduque os leads.

Invista em e-mail marketing

Essa ferramenta é, sem dúvidas, uma das mais consistentes e efetivas do marketing digital, inclusive para educar leads. Se você souber utilizá-la com o marketing de conteúdo a educação de leads torna-se tangível e considerável. Quem assina sua lista está dando um passo a mais no relacionamento com sua marca, permitindo maiores investidas e demonstrando interesse em aprender sobre seus produtos e serviços. Nessa etapa, produza conteúdos mais densos e diretos para educar. O foco aqui é conduzi-lo a ação com uma sequência de emails persuasivos e úteis.

Marketing de conteúdo na história

marketing de conteúdo

Apesar de o marketing de conteúdo ser considerado novo, a história relata algumas ações que remetem à sua essência. Separei alguns exemplos bem interessantes de estratégias de conteúdo aplicadas em épocas onde a tecnologia ainda não reinava no universo do marketing, e onde não haviam Google, blogs e redes sociais. 

#1.    Rural Content

Em 1895, foi lançada uma revista denominada “The Furrow”. A empresa responsável pelo projeto era a John Deere. O foco do material era educar fazendeiros para que os mesmos tornassem suas fazendas mais lucrativas. A campanha de conteúdo funcionou em longo prazo, pois a revista circula até os dias de hoje, em mais de 40 países, tendo um público de aproximadamente 1.5 milhões de leitores ativos.

#2.    Conteúdo em formato de guia

Uma das “estratégias de conteúdo” mais famosas, o “Guia Michelin” foi um formato de conteúdo lançado no ano de 1900 pelo empresário André Michelin. O industrial francês implantou a ideia com o objetivo de promover o turismo para o crescente mercado de automóveis, oferecendo dicas de manutenção veicular para os motoristas. Pasmem, o guia ainda é publicado na maioria dos países europeus e em vários outros em todo o mundo. Isso é o que é recorrência!

#3.    Formato de dar água na boca

Em 1904, a organização “Jell-O Salesmen” teve a brilhante ideia e criar e distribuir gratuitamente um guia de receitas de porta em porta. O objetivo era promover o principal produto da empresa, que se resumia num alimento versátil que poderia acompanhar diversas outras receitas. Dois anos depois, exatamente em 1906, a empresa atingiu a marca de U$ 1 milhão em vendas. Número bastante expressivo para época com uma estratégia totalmente inovadora.

#4.    Conteúdo “nível engenharia”

Em 1913, a empresa de consultoria e design Burns e McDonell, corporação de Kansas City, lança um formato impresso voltado ao setor de engenharia. Hoje é uma das principais empresas de design nos Estados Unidos. Fornece serviços de engenharia, arquitetura, construção, ambiente e serviços para os mercados de aviação, defesa, ambiental e utilidade pública.

#5.    A Content Radio da Sears

A “Sears, Roebuck and Company” é uma rede de lojas americana com sede em Chicago, Illinois. Em 1922 lança sua própria estação de rádio, com conteúdo oferecido pela Fundação de Agricultura Roebuck. A intenção era ajudar fazendeiros a se manterem informados durante a crise e administrarem bem seus negócios.

#6.    ‘Moça na área’

Saltando para 1962, temos as receitas do Leite Moça elaborados pela fabricante Nestlé. Os rótulos eram impressos com receitas que ensinavam a fazer sobremesas. O sucesso do conteúdo foi tão grande, que até a década de 1980, o produto simplesmente não tinha concorrência. Você já deve ter comido muitas dessas delícias e nem sabe!

#7.    O conteúdo herói da Hasbro e Marvel

20 anos depois, em 1982, as empresas “Hasbro e Marvel” fecham uma parceria para produzirem as revistinhas de conteúdo infanto-juvenil G.I Joe. Essa ideia formou uma revolução no marketing de brinquedos. A revista foi a primeira do gênero a ser anunciada na TV, e posteriormente, ganhou um seriado. A ideia conquistou não apenas os nerds de plantão, mas a massa de jovens da época, sem contar os adultos.

Os responsáveis por essas estratégias talvez nunca tivessem ouvido falar em marketing de conteúdo, mas já usavam o conteúdo para assegurar maiores resultados. 

Livros sobre de marketing de conteúdo que você precisa ler

Além dos cursos, treinamentos e workshops, alguns livros de marketing de conteúdo podem te ajudar a se tornar um verdadeiro especialista. Criei esta lista com os 7 livros de marketing de conteúdo que eu considero fundamentais para você ler e dominar o assunto.

#1 – Marketing de Permissão – Seth Godin

livros marketing de conteúdoImagine poder criar uma mensagem que as pessoas de fato queiram receber. Uma proposta que visa atender as necessidades de seus clientes entregar a eles exatamente o que eles buscam.

Este livro foi feito com esta finalidade. Ele mostra como os profissionais da área podem conseguir muito mais êxito ao espalhar ideias e não somente criar mensagens persuasivas e diretas para vender um produto ou serviço.

Aliás, se você quer aprender a fazer negócios de uma forma inovadora e não ser apenas mais um no mercado, leia todos os livros do Seth Godin.

#2 – Inbound Marketing – Brian Halligan e Dharmesh Shahlivros marketing de conteúdo

Os autores deste livro dizem que se você expõe algo que as pessoas não estão dando audiência, alguma coisa está errada e a rota deve ser ajustada para reverter a situação.

A ideia central é a migração do outbound para o inbound, mostrando como a criação de conteúdo de qualidade faz toda diferença, influenciando as pessoas a darem a devida atenção ao seu negócio.

Conheça o livro aqui!

#3 – Estratégia de conteúdo para a web – Kristina Halvorson

livros marketing de conteúdoSeu conteúdo pode ser melhor. Muito melhor. E você não precisa de meses de planejamento, um milhão de dólares e nem de uma nova equipe para ter sucesso. Na verdade, se você puder se comprometer com estes cinco pontos, você melhorará radicalmente a organização de sua estratégia de conteúdo para a web em um período de tempo relativamente curto:

#1. Faça menos, não mais.

#2. Descubra o que você tem e de onde isso vem.

#3. Aprenda a ouvir.

#4. Coloque alguém no comando.

#5. Comece a perguntar “por que”?

Esses são os fatores explorados pela autora Kristina Halvorson nesse livro que eu uso como material de consulta!

Conheça aqui!

#4 – Regras de Conteúdo – Ann Handley e CC. Chapman 

livros marketing de conteúdoEste livro é ideal para quem está começando a se aventurar na área de produção de conteúdo. Nele você tem a chance de entender como aproveitar melhor os canais disponíveis e como atuar bem em cada um deles.

Em Regras de Conteúdo, Ann Handley e CC. Chapman te ensinam a se inspirar, se organizar e tornar suas produções muito mais eficientes. Para divulgar seus negócios, atingir novos clientes e criar uma fidelidade duradoura, você precisa ler este livro.

Clique aqui e conheça!

#5 – Marketing de Conteúdo Épico – Joe Pulizzi 

livros marketing de conteúdoEm Marketing de Conteúdo Épico, Joe Pulizzi, um dos maiores especialistas no assunto, aborda como criar histórias envolventes que atraiam e engajam o público.

O livro também fala sobre a importância de posicionar sua marca ou negócio como autoridade no segmento. Outra obra indispensável!

Conheça aqui!

#6 – Marketing de Conteúdo: A Moeda do Século XXI – Rafael Rez

livros de marketing de conteúdoMarketing de Conteúdo: A Moeda do Século XXI aborda temas como planejamento e métricas, tecnologia e tendências, funil de vendas, tráfego, geração de leads e vendas, dentre outros.

Esta obra é leitura obrigatória para as organizações modernas e referência para quem busca estudar um pouco mais sobre estratégia de marketing digital, com a finalidade de conquistar mais clientes. Tive a honra de trabalhar como editor nesse livro e indico ele para todos que desejam se tornar experts em marketing de conteúdo.

Compre aqui!

#7 – A Arte de Escrever Para a Web – Paulo Maccedo

livros marketing de conteúdoSe você deseja que sua performance como produtor de conteúdo gere mais audiência através da escrita, eis aqui um livro foi feito especialmente para te dar uma força. O autor sou eu mesmo, Paulo Maccedo.

Meu objetivo com ele livro foi criar um apanhado de técnicas e conselhos para você produzir conteúdos impossíveis de não serem lidos.

Compre agora! 

Agora que já apresentei os livros de marketing de conteúdo que te ajudarão a se tornar um expert na área, quero saber qual desses você já leu e em que ele te ajudou.

Formar opinião, espalhar ideias e influenciar pessoas

Seth Godin tem um pensamento interessante:

As pessoas que conseguem espalhar suas ideias – independentemente de que ideias sejam – vencem.

Autoexplicativo, não é?

Pois bem, existe algo que está além do funil de vendas, do calendário editorial e da sequência de posts no blog. É a essência que faz com que uma marca seja reconhecida, amada e defendida. É sobre isso que falo no vídeo.

O marketing hoje deve contar uma história para as pessoas que querem ouvi-la para que elas interajam, se conectem e compartilhem a ideia. Tenho baseado minhas estratégias de marketing de conteúdo nesse pensamento.

Godin tem outro conceito que cabe aqui:

Não grite para as massas; sussurre para poucos. As pessoas vão escolher falar sobre as coisas. Entregue suas ideias.

Fazendo ponte com Kotler, lembro do marketing 3.0, centrado no ser humano. Ele nos leva a entender que o consumidor busca uma relação que lhe toque o coração, a mente e o espírito. Isso também está além da prospecção e da venda.

Tem dúvidas de como essas ideias convergem e como podem ser colocadas em prática no marketing de conteúdo? Assista o vídeo acima!

Conclusão

Este artigo mostra um pouco do panorama do que é uma estratégia de marketing de conteúdo. Espero que ele tenha lhe ajudado a entender como criar e publicar conteúdo pode lhe ajudar a alcançar os resultados como empresa. Para fechar, exponho uma lista de pessoas e empresas que você pode acompanhar para aprender mais.

10 especialistas para você seguir e aprender marketing de conteúdo

Abaixo apresento uma lista resumida de um material gratuito com uma compilação de 10 empresas e pessoas que você deve acompanhar para aprender marketing de conteúdo. 

#1. Content Marketing Institute

#2. Brain Traffic

#3.Hubspot

#4. Resultados Digitais

#5. Rock Content

#6. Contentools

#7. Kristina Halvorson

#8. Seth Godin

#9. Rafael Rez

#10. Angelo Públio

E claro, pode continuar seguindo este blog e se cadastrar em meu newslleter para receber o melhor de meu conteúdo. Se você leu este artigo até o fim, não saia sem deixar um comentário com sua opinião. Para fortalecer seu conhecimento, segue um vídeo sobre marketing de conteúdo que o meu amigo Rafael Rez produziu:

Paulo Maccedo
Paulo Maccedo
Analista de Marketing pela Universidade Metodista de São Paulo. Blogueiro, autor e criador de conteúdo. Numa relação séria com a comunicação desde 2010, inimigo declarado do spam e evangelizador fervoroso do marketing de permissão.

2 Comentários

  1. Vera Dos Anjos disse:

    Maravilhoso texto! Muito grata
    Vera
    Jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *